Maio

A chuva e o sol são poderoso fermento. Nesta altura, a rainha Primavera já não está mais a despertar do longo sono de inverno. Ela esta activa e numa azáfama incrível onde todo o reino vegetal e animal se apressa a viver. As ervas cresceram à altura da cinta. A flor já é semente ou fruto. A roseira de Santa Teresinha está no seu auge. É um festival de rosas que emana o seu delicioso e inebriante perfume.
Abundância.
Desde a pinha que cai e abre cheia de pinhão, à cereja que este ano é doce e generosa, ao feno que é cortado para o mulching da horta.
A horta, começa a encher-se do verde dos vegetais que crescem de dia para dia: as alfaces, os tomateiros, as curgetes, as abóboras, o feijão verde, as batatas, as pastinacas, os nabos, os rabanetes, as beringelas, as cebolas, o milho doce, e mais... haverá de tudo um pouco!
O final de tarde é passado a regar, para que tudo, hortas, flores e árvores não passem sede.
O calor é forte durante o dia, e o céu azul cobre-se agora de tons alaranjados que chamam as cigarras para a festa nocturna. Cheira a verão.