Preguiça boa

Bom Domingo!
Por aqui está a ser calmo e sonolento. De manhã fiz "jardinagem de terraço", com a mudas de vasos e terra e propagação de algumas plantas do interior da casa. Almoçamos tardíssimo, pois por aqui, mudança de hora é algo que custa "a entrar".
A tarde foi de cinema com o visionamento de um filme absolutamente lindo. Imagem, banda sonora... enfim: Maravilhoso. Deixem-se encantar com o trailer do Song of the Sea:






 A seguir tentarei ver o "The secret of Kells". Ambos filmes de Tom Moore.


invernou



Invernou de novo. Logo agora que a Primavera começava a brotar em todos os recantos do campo.
Lá no alto, na serra, nevou. O frio faz-se sentir com intensidade aqui na encosta e valha-nos a lareira para nos aquecer... e a lenha que ainda sobrou! Não gosto muito destas mudanças repentinas. Eu sei, que a primavera tem destas coisas, mas... 

Coincidiu invernar também um pouco a minha alegria e esperança de mudar de casa no próximo mês... Já era certo! Estávamos só à espera de assinar contracto quando um problema burocrático - a falta de licença - se mete pelo caminho... Engraçado, ou não, recebi a noticia quando lia estas palavras nas páginas finais de um livro do Deepak Chopra que tenho andado a ler: "Afaste-se da situação - sempre que esta lhe ofereça resistência e obstáculos - e veja se a consciência mais elevada lhe consegue fornecer uma solução espontânea.»
Bem, é o que tentarei fazer.
Tenho uma mania impulsiva de tentar, planear, procurar soluções.
Sinto que tenho de entregar isto ao céu e ver o que o céu me reserva.
Não é fácil não preocupar, não pre-ocupar a mente, praticar a não-acção. Mas...

...Entrego ao céu.







sonhos estranhos, mas que me dizem muito

"Em vestido de cerimónia, empilhava um monte de paus, que cortava em pequenos pedaços para juntar ao composto..." A última imagem que tenho de um sonho desta noite.

Altura em que ponho em causa e analiso aquilo que faço. Sou uma designer, que faz jardinagem, e "trabalho de homem" muitas das vezes. Pondero se estaria mais feliz num outro emprego, mais adequado a uma "menina" e à minha formação de base. Sei que não seria mais feliz a trabalhar num gabinete... embora nunca o tenha feito. Pondero se gostava ao menos de ter essa experiência e pôr-me à prova numa situação completamente nova.




ciclos

O ano começou difícil. Os primeiros meses não foram pêra doce. Foram duros demais, mais do que eu me recordo algum dia terem sido. Diz-se que uma desgraça nunca vem só e infelizmente, por aqui temos constatado essa verdade. Coisas aleatórias, sem ligação aparente (não neste plano pelo menos), mas que nos têm deixado com pouca energia e alegria, algumas não foram comigo directamente, nem com marido e filhos, mas com familiares próximos e isso acaba por nos afectar também, claro. Daí a minha pouca vontade de vir aqui partilhar seja o que for. Em alturas assim prefiro o silêncio, o recolhimento, para me fortalecer e re-nascer.
A chegada da Primavera começa a fazer-se sentir, e assim se começam a dissipar também os problemas, e a vida retoma seu ritmo.  
Tudo isto faz parte da vida, do crescimento enquanto pessoas. Algumas lições chegam a nós da forma mais dura, por vezes necessária... Acredito que tudo faz parte de um plano maior e que aceitar e entregar é o mais certo... Até porque se lutamos contra, caímos no desespero e numa tristeza absoluta... e não vale a pena!

O trabalho no jardim tem evoluído bem, com novos projectos. Um re-design do patamar dos pinheiros mansos, onde nasceu uma mandala, um deck e uma mesa de pedra que ainda vem a caminho. Bolbos começam a surgir, para já apenas os narcisos amarelos, os jacintos e uma ou outra anémona roxa. Seguir-se-ão os lírios, as tulipas, as fresias, Adoro a festa de cores da primavera!

Enquanto isso, a minha quinta continua em stand-by... nada de novo, a não ser termos feito a poda das vinhas e algumas árvores de fruto.

E ainda... apesar de serem umas terríveis invasoras, o que eu gosto mesmo muito é do aroma doce das mimosas no ar. ;) Bom fim-de-semana!