8.20.2013

vou onde o vento me leva


Photo: H. Soares

Hoje de manhã saí muito cedo,

Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer...

Não sabia por caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.

Assim tem sido sempre a minha vida, e
assim quero que possa ser sempre —
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar.

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

8.08.2013

Construção natural - teste do frasco

Temos três frascos com terra e água.
Terra de três locais distintos do nosso terreno.
Estamos a realizar o "teste do frasco", para verificar a composição da terra e ver qual o sitio ideal para retirar a terra com que vamos encher os sacos para a construção e também se será necessário adicionar algum cal. Este teste está descrito no manual que estamos a usar: "EarthBag Building", de Kaki Hunter e Donald Kiffmeyer.


Amanhã teremos resultados!






8.04.2013

Em modo Stand-By e planos de construção


O dia de hoje era para ser de piquenique, numa visita ao terreno de uns amigos da zona. Gripe minha e constipações dos miúdos fizeram-nos ficar em casa (da qual já não saio à 5 dias!). Hoje terei de sair, apesar de me doer tudo, pois o frigorífico já reflecte o hermitismo.

Tenho estado um pouco ausente daqui, é verdade... Não tenho tirado fotografias - nem em casa nem fora dela. Não tem havido grandes desenvolvimentos na quinta. As limpezas do terreno pararam por agora. O processo de compra decorre com a promessa de que os donos virão agora em Agosto para finalizarmos e finalmente assinarmos a escritura.


As ideias para a construção têm ocupado os nossos pensamentos e temos enchido páginas e páginas do caderno quadriculado com esboços, planos, riscos e riscalhadas... Muitos vídeos vistos no youtube sobre as técnicas de construção natural.
Decidimos optar por sacos de terra para fazer o aumento da construção. É a solução mais económica e viável para nós. Fardos de palha seria a segunda opção mas requer uma boa estrutura de madeira e pensamos que fica menos económico, embora vá dar uma valente trabalheira e requerer muita paciência, pois o processo construtivo será mais lento. Já encontrámos fornecedor para os sacos (saco de ráfia tubular, em rolo, 50cm de largura, o comprimento que quisermos).
Agora falta tirar medidas precisas no terreno e fazer o estudo final em papel. Iniciaremos a construção lá para Setembro, se tudo correr bem. Ainda antes disso, temos de comprar e instalar um motor de água no poço e canalizá-la até à casa, pois vamos precisar de ter água "à mão". E encontrar na zona alguém que perceba do assunto (do poço, da água, de canos e afins).


Estamos entusiasmados e ansiosos por começar. Mas sabemos que encontraremos algumas pedras e paus no caminho. Que teremos de saltar, ultrapassar e avançar... caminhando com calma. E as pedras e os paus ao fim e ao cabo dão sempre jeito para quem anda nestas andanças!

Agora vou ali fungar e fazer um cházinho de limão.

Bom Domingo e Boa semana!
xxx