Novo início



Gosto de receber as mensagens de luz semanalmente no email. Nem sempre abro, nem sempre me chamam. Mas, às vezes, tenho boas surpresas.
No contexto deste blog e de toda uma série de aventuras que sinto a aproximar-se, partilho convosco a mensagem que hoje recebo:

«Um novo início se abre. Um novo início se abre para uma nova Primavera. Uma nova perspectiva, sem amarras nem questões antigas. Uma nova realidade verdejante, como a Primavera nos primeiros dias. 


É tempo de primavera espiritual. Tempo em que tudo nasce, em que tudo brota e se desenvolve. Tempo em que tudo se encaixa de forma perene e desprogramada… e descomprometida… e desafogada… mas perene. 



Tempo de escassos meios para alcançar tantos fins anunciados. Tempo de escolhas. Tempo de reflexão. Tempo de iniciar a jornada. A nova jornada que te leva ao infinito. Em que a estrada é frágil, mas iluminada. Em que o caminhar é inseguro, mas feliz. Em que o tempo é tempo. E o que fizeres com ele vai contar sempre a teu favor. 



Um novo início se abre. Não queiras saber o que é. Sente. Não queiras controlar a vida. Sente. Não queiras chegar ao fim. Não te apresses. Sente. Percorrer o caminho é a única certeza que terás nesta estrada tão atribulada. »
 excerto do "Livro da Luz"

Grow!

Ainda não vi o filme, mas já estou inspirada.
Aqui fica o link do trailler no vimeo para quem quiser ser inspirado também.


«GROW! takes a look at this new generation of sustainable farmers through the eyes, hearts and minds of 20 passionate, idealistic and fiercely independent young growers. In the film they speak of both the joys and the challenges involved in tending the land.

Filmed on 12 farms throughout the state of Georgia during an entire growing season, GROW! provides an honest and inspiring look at this next generation of farmers.

Anybody who appreciates the value of good, wholesome food grown close to home, who cares about our food supply and the future of farming will want to see GROW!»

Receita para fazer uma Terra do Arco-Íris


Quantidade: para 4 pessoas

Tempo de preparação: Sem pressa!

Dificuldade: A dificuldade está em conseguir reunir todos os ingredientes!

Ingredientes
1 casa construção de pedra
1 vista de montanha (mas não muito isolado)
1 pitada de floresta
1 colher bem cheia de área agrícola e prado
terra fértil q.b
água abundante
Privacidade
Preço atractivo (diga-se: à medida dos nossos bolsos(inhos))
Proximidades de aldeia ou vila
Paciência
Ingrediente principal:
amor à primeira vista

Preparação

Pesar bem todos os ingredientes.
Levar a cozer em lume brando o tempo que for preciso.
Desfrutar.

(Felizmente, já temos algumas a marinar!)



Água

Que a chuva já chateia, toda a gente já sabe (por isso não vou dizer).
Que este ano o Inverno na Serra da Estrela teve seis meses de duração, sabemos bem nós que aqui vivemos.
Apesar do frio (que é o que mais me chateia realmente), há algo de belo nesta "festa da água" abundante.
Ribeiras vão cheias, rios transbordam, cascatas brotam em cada canto.
Este verão, não haverá poços e minas secas, e as culturas serão regadas.
É assim... por aqui! 








Re-começa!


Começar um novo blogue...
É como ter um caderno novo.
Limpo, lindo, cheio de possibilidades e promessas.

Um ciclo ficou completo. Nada mais cabe lá.
"Renova, renova!" digo para mim!
Morre e nasce.
Re-começa!
Vive de novo. Algo novo.
Liberta!

...


E aqui estou.
Num blogue novo.
E também num novo caderno.
...E num novo ciclo da minha vida.


Quero ainda o que sonhei.
Para isso foi que libertei.
Que chorei.
Que abracei para despedir.
...E como custa libertar... Ui se custa!

Mas trago comigo, na minha memória, o cheiro das árvores e da terra.

A passagem dos séculos pertence apenas à terra, às árvores, às pedras... e à eterna grande alma-mãe.
Terei deixado algo, na minha breve passagem por aquele lugar? Ou fui leve brisa nocturna que se foi com a manhã? ...Na mesma fui feliz, porque o lugar fez parte de mim e por um instante fiz parte de lá. Misturei-me e entreguei-me. E agora me liberto para continuar caminho, até de novo me entregar... a outro lado.

Deitarei as minhas raízes na terra que me acolher. Estou mais velha e cansada. Quero passar mais que uma noite. Quero dormir, quero acordar. Quero viver. Misturar-me. Ser.
Semear e colher. Muitas vezes.
Cuidar e amar.
Cantar às árvores com o vento que passar.
Correr no luar do verão.
Recolher-me na mais dura estação.
Ser.

Vou esperar. Por agora.
Quero acreditar que ela já me encontrou e me chama. E que, se eu hesitar, ela me puxará para si. E que eu me irei deixar ir na força dela.
E assim serei sua.
E ela será, a minha terra do arco-íris.