2.20.2011

um livro por mês

Desde que o Si nasceu que deixei a leitura para segundo plano. Conto pelos dedos os livros que li desde essa altura. Não só a falta de tempo, a mudança de rotinas, o agravamento da miopia (que faz com que tenha de esforçar muito mais os olhos e perca a concentração facilmente). Enfim... uma panóplia de desculpas que por vezes não passam disso mesmo. Desculpas. No fundo, foi um hábito perdido.
Tenho sentido (não sei porquê) uma enorme dificuldade em recuperar hábitos antigos e ou criar novos, muito mais do que há uns anos em que facilmente, me adaptava a qualquer mudança se quisesse fazê-la (será isto coisa da idade?).
Acho que agora, deixo o tempo correr, sem (es)forçar, sem me preocupar, aceitando o que o vida me reserva. Mesmo sabendo que existem certas coisas que quero mudar na minha vida, sei que não tenho feito um esforço muito grande para... me alimentar melhor, fazer mais exercício, ler mais... mas enfim, vou deixando acontecer! Às vezes basta uma palavra, ou um desafio para que as coisas aconteçam no momento devido em que devem acontecer.
Com a leitura está a ser assim.
Um desafio da Alexa Violeta, leva-me de volta aos livros. Aceitar entrar no desafio de "Ler um livro por mês" é um bom incentivo para que eu regresse a este hábito de que tanto gosto, que tanta falta me faz e que nos enriquece tanto. Espero num mês conseguir ler dois ou três, mas isso o (meu) tempo dirá e obviamente o tamanho dos livros que me escolherem (também acho que às vezes são eles que nos escolhem!).


O MALINCHE da Laura Esquivel repousa na minha estante à 4 anos. Foi-me oferecido no final de 2006 pela minha irmã mais velha - que sabia que eu o queria muito! Na altura li um ou dois capítulos mas, já não me lembro por que razão, nunca o acabei.

Com esta mudança para o Porto em que me afasto da minha "biblioteca" por dois meses, numa rápida "passagem de olhos" momentos antes de partir - "O que é que eu levo???" - a lombada vermelha do Malinche destacou-se de todas as outras. Talvez tenha sido a própria Malinalli que através do vento me chamou para que eu lesse a sua história.
(imagem tirada da net)

E estou assim, a passar esta tarde de Domingo, embrenhada nesta maravilhosa leitura.
Boas leituras. Bom Domingo!

2.18.2011

cidade / campo

A Joana vai descer a montanha e rumar a norte, ao Porto.
A minha cidade-berço.
São dois meses em que deixo a minha casa, o meu verde.
Sempre me senti um Cesário Verde. A dicotomia cidade/campo acompanha-me desde a infância.
Não sou da cidade, não sou só do campo.
Ambos fazem e sempre fizeram parte da minha vida.
Vida que se divide em anos passados num lado, anos passados no outro...
É aqui, nas montanhas que me sinto bem, mas não posso negar que no Porto, me sinto em casa!


























Joana is descending the mountain and heading north - to Porto.
My birthplace.
Will be two months, I`ll leave my house, my green.
I always felt like a Cesario Verde. The dichotomy between town and countryside accompanies me since childhood.
I'm not from the city, I am not just from the countryside.
Both are and have always been part of my life.
Life that is divided by years passed living on one side and years lived on the other ..
It is here in the mountains that I feel good, but I can not deny that in Porto, I feel at home!

2.04.2011

Bom fim-de-semana!!!

A semana acabou com este ar de primavera no ar.
Já apetece passar mais tempo lá fora, a estender roupa, a ler um livro, a varrer o pátio, a tratar dos canteiros, e tudo isto enquanto se "cora" um bocadinho! Infelizmente, durante a semana tenho passado mais tempo a trabalhar ao computador do que a apanhar sol, por isso...Vem aí o fim-de-semana, e eu não fico em casa não. Que farei?
Uma caminhada?
Um piquenique?
Um passeio de bicicleta?
Subo à serra?
Talvez tudo isto e algo mais!