Domingo de caminhada e pic-nic

Com a lancheira cheia de coisas boas, fizemos-nos à estrada para um pic-pic (como diz o meu pequenote). O carro ficou numa estradinha de terra secundária e pela primeira vez fomos explorar e trepar o penedo (tantas vezes lá passamos!).
Não sei bem a história do penedo nem porque se chama João Brandão. Mas talvez tenha servido de esconderijo ao bando do João Brandão, pelo que descobri no Wikipédia foi uma espécie de herói lendário das beiras, da altura das invasões francesas. Mais conhecido por "terror das beiras".

(Do alto do penedo João Brandão, na zona de Travacinha) Numas das paredes laterais existem umas reentrâncias muito pequeninas para facilitar a escalada, mas... e descer? Bem mais complicado! Mas lá aterramos sem danos de maior! Cá em baixo o S. ía trepando de gatas as rochas pequeninas.
A pé, serra acima, mato a dentro, num explenderoso vale de giestas de flor branca, fizemos o nosso pic-nic. E já de volta ao local da partida, o S. cobriu-se de terra da cabeça aos pés.

estudo

Estudo para a pintura da "barriga de gesso".
(aguarela e lápis-de-cor)
A "barriga" está moldada.
Faltam os acabamentos. Reforçar as arestas e alguns pontos menos fortes. Alisar a superficie. Pintar.


Tarde de muitos esboços

Promenor de um esboço para a pintura da "minha" primeira "barriga de gesso".
"Barriga de gesso", molde de gesso da barriga da grávida.
Para despedir, para recordar, para simbolizar e honrar a transformação do corpo da mulher e o ninho onde o nosso bebé se desenvolveu e onde esteve protegido durante 9 meses.
Vou realizar o meu primeiro molde de gesso numa grávida no próximo Sábado - a pedido de uma amiga. Nunca me tería lembrado de tal coisa se ela não me tivesse pedido. Já tinha ouvido falar antes e a primeira reacção foi de "estranheza", mas... de facto, acho que pode ser algo bem especial.
Vou experimentar, ver o resultado, e quem sabe se não farei outras no futuro (?). Estou ansiosa por pintá-la!

Caminhar


Eu sou como os ciganos! Caminhar
É para mim, na vida, o maior bem;
Ao sol, à chuva, ao vento e ao luar,
Sem me prender a nada ou a nínguem!...

Parar será morrer! Nunca parar!
É preciso haver sempre um mais além.
Ai do que chega, aonde quis chegar;
Pobre, do que na vida se détém!...

Caminhar é ter sempre uma alma nova.
É não se conhecer a nossa cova.
É ter fome, é ter sede de verdade!

É ter alma de poeta e vagabundo!
É ir até onde termina o mundo
E começa o explendor da Eternidade!

Manuel Cid Teles

(em: "Canta Cigarra, Canta! - Sonetos" Oliveira do Hospital)

dianthus

Não sei se é só da Primavera, mas desde que transplantamos as cravinas e os cravos de bordadura para uma das floreiras à frente da casa (onde apanha mais sol), estão lindas como nunca, cheias de botões e flores e a crescer imenso.


cravinas


cravos de bordadura


revista vegetariana II

E já vão duas!
Já saíu da gráfica à uns dias mas tinha-me esquecido de lhe dedicar um post.
A segunda Revista do Centro Vegetariano, está aí e nela podem encontrar os seguintes temas:

Notícias

20 de Março - Dia Mundial Sem Carne

O Especismo

Zinco- O metal essencial

Dente-de-leão, beneficios para a saúde

Responsabilidade Social versus Vegetarianismo, Oportunidades e Riscos

Receitas

Dicas para substituir os ovos

A REVISTA VEGETARIANA é um projecto do Centro Vegetariano, com o qual colaboro como voluntária e sócia.
Lançamos pela primeira vez em 2008 a edição de Outono e esta é a Edição de Primavera.

Foi paginada por mim e a ilustração da capa é da Isabel. (Eu ilustrei a página das receitas!)

É grátis para os sócios do Centro Vegetariano: http://www.centrovegetariano.org/.
No Porto podem encontrá-la, entre outros locais, à venda na Casa da Horta.
Penso que também irá estar disponível on-line brevemente no site do Centro.

o meu bisavô no espólio fotográfico português

Seguindo esta dica da Rosa, fui ao site do Espólio Fotográfico Português. Na secção de Fotos de Antepassados encontrei uma foto do meu bisavô.
Adélio Vaz


«A representação de si: o retrato da Fotografia Beleza
A casa fotográfica de António Beleza, de 1907, não poderia ser um estúdio qualquer. O seu proprietário tinha já uma tradição assegurada neste campo de uma técnica que se começava a chamar arte com A maiúsculo. António Beleza ocupara por largos anos o estúdio de Emílio Biel na Rua do Almada, então como Royal Foto e, referência importante, fizera na sua nova casa na Rua de Santa Teresa, a poucos passos da grande Fotografia União, uma sala de espera decididamente elegante, para atrair o público feminino.»

de visita ao norte

A caminho do Porto, soube bem parar em Valadares para esticar as pernas e apanhar um pouco de ar do mar para variar os "ares" serranos.
O meu baby quis brincar com a areia tal como brinca com a neve... e nós fomos os alvos da brincadeira!

desenho da nenêz

O computador que costumo usar teve um problema, um virus qualquer afectou o Explorer (ou qualquer coisa do género), e está neste momento na lojinha de informática a ser formatado. Para o substituir, liguei o meu computador antiguinho, lentinho mas muito querido. Descobri pastas e ficheiros guardados que já não abria à mais de um ano!

Este desenho da minha sobrinha estava por lá. Lembro-me de o ter digitalizado e ainda bem que o fiz pois não sei se ainda tenho o original. Hei-de procurar!
Foi dedicado ao primo, o meu Simãozinho e está uma doçura!






Na pasta do álbum de fotografias, relembrei estes tempos, em Vila Franca da Beira.

Pesquisava acerca de pigmentos naturais, preparando-me para um workshop que vou fazer com a Isabel no Encontro Verde, em Tábua. E... Fantásticas coincidências! Os resultados do Google colocaram-me num post deste blog que também me fez pensar em Vila Franca hoje!